Publicado em

Por James Pomfret

HONG KONG (Reuters) - Milhares de manifestantes marcharam pelo centro de Hong Kong neste domingo como parte das manifestações anuais que pedem que a China seja responsabilizada pela repressão à democracia dentro e ao redor da Praça Tiananmen, três décadas atrás.

Grupos de direitos humanos e testemunhas dizem que centenas, talvez milhares, morreram em um banho de sangue enquanto tanques chineses adentravam a Praça Tiananmen e soldados disparavam contra os manifestantes pró-democracia, liderados por estudantes, com início na noite de 3 de junho de 1989.

A repressão de Tiananmen é um tabu na China e autoridades se recusaram a aceitar total responsabilidade ou divulgar o número de mortos.

Neste ano, para o aniversário de 30 anos, censores de empresas de internet chinesas disseram que as ferramentas para detectar e bloquear conteúdos sobre a repressão de 1989 atingiram níveis sem precedentes de precisão, ajudados por aprendizado de máquinas e reconhecimento de voz e imagem.

Hong Kong e Macau são os únicos locais no solo chinês onde o evento é comemorado todos os anos, enquanto a ilha democrática de Taiwan também realiza reuniões públicas pelas vítimas.