Publicado em

BUENOS AIRES (Reuters) - O político argentino Sergio Massa, que recentemente declarou seu apoio aos principais concorrentes opositores do presidente Mauricio Macri, deverá desempenhar um papel vital no Congresso se seus novos aliados vencerem as eleições nacionais no final deste ano.

O ex-chefe de gabinete disse nesta terça-feira que seria o primeiro de uma lista de candidatos ao comando da Câmara dos Deputados, uma das duas Casas do Congresso, se o presidenciável peronista Alberto Fernández conquistar a Presidência.

Na semana passada, Massa, político de centro que flertou com uma candidatura presidencial, fez uma aliança com Fernández e com sua colega de chapa, Cristina Kirchner, que foi presidente de 2007 a 2015.

A aliança --que criou a dúvida sobre qual papel Massa assumiria-- deve ampliar o apelo da chapa Fernández-Cristina junto a eleitores mais moderados, particularmente na província crucial de Buenos Aires.

O Congresso Nacional da Argentina é composto pelo Senado e pela Câmara dos Deputados.

"Para além de meu interesse pessoal, nossa maior responsabilidade é dar aos argentinos a possibilidade de formar uma maioria para ter um novo governo", disse Massa durante um seminário em Buenos Aires.

Se nenhum candidato conseguir 45% dos votos no primeiro turno da votação, ou ao menos 40% com uma dianteira de 10 pontos percentuais sobre o segundo colocado, a disputa terá um segundo turno em novembro.       

(Por Gabriel Burin)