Publicado em

A Dicico , rede varejista de materiais de construção, registrou 27% de aumento nas vendas de ventiladores de ar na primeira quinzena de janeiro. A rede, que tem 13 lojas no Estado de São Paulo, deve inaugurar mais seis unidades esse ano, em São Miguel Paulista, Guarulhos, Suzano, Campinas e outras duas na baixada e interior paulistas. O resultado positivo das vendas é decorrente do forte calor registrado no início deste ano, além da ampliação da linha de ventiladores de teto comercializados pela rede e ao início da venda dos modelos de mesa. A Dicico iniciou ontem uma queima de estoque que vai até primeiro de fevereiro, na qual o consumidor encontra ventiladores com preços que variam de R$ 39 a R$ 128.

De acordo com Carlos Corazzin, diretor de marketing da rede, a venda de ventiladores é sazonal, mas esse ano, devido ao receio de não haver tanto calor quanto no ano passado, a Dicico preparou promoções mais agressivas. "Ano passado, fazíamos parcelamentos de até 10 vezes sem juros. Esse ano, estendemos para 12 vezes sem juros. No cheque pré-datado parcelamos até 24 vezes com juros de 1.99% através do Banco Panamericano ", diz.

O tíquete médio da Dicico na compra de ventiladores é hoje R$ 400. "Já que na compra de ventiladores, as pessoas sempre levam mais de um para os diversos cômodos da casa. Por isso, é possível oferecermos melhores condições de pagamento", explica Corazzin.

O diretor afirma que o tráfego de clientes aumentou na loja devido à venda dos ventiladores e entre os produtos mais comprados estão as tintas e pisos de revestimento, principalmente nas regiões do litoral paulista. Para poder melhor receber o cliente e a maior demanda, a Dicico tem um plano de treinamento para vendedores, cuja carga horária vai de 15 a 17 horas semanais.

"Toda vez que vamos fazer promoção, vender produtos sazonais ou fazer lançamentos, focamos em treinar os funcionários para atender aos clientes que procuram por esses produtos. Por exemplo, o nosso treinamento no começo do mês de janeiro foi primeiro fazer uma preparação de estoque. Em seguida, nos concentramos em realizar as vendas", conta.

Não apenas a comunicação no ponto de venda contribui para otimizar os resultados. O fornecedor também tem um dos papéis principais no treinamento de pessoal sobre as características técnicas e de funcionamento dos produtos.

Em 2005, a Dicico abriu uma loja em fevereiro em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e, em agosto, a loja de Campinas, no interior.

De acordo com Corazzin, a loja de São Bernardo do Campo está ainda em período de maturação, mas apresenta performance maior que esperada. "As vendas estão 30% maiores do que projetávamos no orçamento original. A loja foi bem aceita, é bastante compacta e atende aos clientes que também frequentavam a loja do Ipiranga, an capital, suprindo assim essa demanda", afirma.

Para Corazzin, preços competitivos também estão entre os principais fatores que levaram a loja de São Bernardo do Campo ter destaque no desempenho de vendas.