Publicado em

A Maxifour, indústria de pães árabes, padaria, restaurante e empório de alimentos libaneses, iniciará em dez dias a produção e venda de torradas libanesas. Trata-se de um produto inédito no Brasil, segundo o presidente do grupo, Farid Kheir. Para iniciar a fabricação a empresa fez um investimento de R$ 60 mil em maquinário e trará mão-de-obra especializada do Líbano. Com o novo produto, a expectativa do grupo é aumentar as vendas em 10%.Este ano a empresa aumentou em 30% a importação de produtos, em comparação ao mesmo período de 2005. Entre os produtos importados, do Líbano e da Síria, está o azeite de oliva que a Maxifour começou a engarrafar no Brasil este ano. Por mês são engarrafadas cinco mil unidades, o que representa cerca de três mil litros. Com o engarrafamento feito no Brasil, a empresa obteve economia de 10%. Cada garrafa de azeite de oliva sírio ou libanês, com 500 ml, custa R$ 18.As torradas serão produzidas nas opções salgada, doce e light. O empresário também apostará na versão recheada. Outra novidade é o pão folha, que é feito artesanalmente. Por dia são produzidos 500 pacotes com seis unidades cada. "Sempre tive problemas com terceirização da produção, agora produzo todos os pães internamente e as vendas aumentaram", diz Kheir. No início de 2006 a Maxifour lançou sua marca própria de produtos, a Zeenny, que conta hoje com 50 itens. "A nossa marca possui rótulos personalizados e já está à venda em supermercados, restaurantes, atacadistas e lojas de conveniência", diz Kheir. Azeitona, aromatizador de doces, grão seco de pinhão, pimenta-do-reino Síria e canela em pó estão entre eles.Na linha de enlatados os mais vendidos são as pastas de grão de bico (babaghannouje)e de berinjela (foul medamas). A venda dos produtos Zeenny representa 70% do faturamento do grupo. Os itens são vendidos para todos os estados brasileiros, sendo 50% destinados a supermercados.A Maxifour desmancha 50 sacos de farinha de trigo por dia para a fabricação de pães libaneses. Hoje a venda chega a 50 mil unidades por dia. Com a cafeteria inaugurada ano passado, ao lado da Maxifour de Moema, bairro na zona sul da capital paulista, o faturamento aumentou 30% em 2006. A cafeteria também comercializa mais de 100 sabores de sorvetes de receitas libanesas e italinas. Há dois meses a Maxifour iniciou a venda de comida pronta para viagem. "Esta idéia surgiu no ano passado e foi iniciada em caráter experimental", diz Kheir. Ele afirma que houve investimento de R$ 60 mil para a montagem da cozinha industrial. Hoje são vendidos de 20 a 25 pratos por dia. Charutos de repolho e abóboras recheadas são alguns deles. Segundo Kheir, um dos produtos de grande saída da rede é a esfirra aberta disponível nos sabores carne, zaatar (uma espécie de orégano libanês) e ricota. O diferencial deste produto é o seu tamanho. "Ela lembra uma mini pizza", diz.ClientelaDe acordo com Kheir, até o ano passado 90% dos clientes das lojas Maxifour eram libaneses. Este ano os brasileiros já chegam a 25% da clientela. Kheir atribui esta mudança ao aumento da variedade de produtos que hoje ultrapassa mil itens. Segundo o empresário, no mês, dez mil clientes passam pelas lojas Maxifour, que conta com três unidades. O grupo tem hoje 100 funcionários e pretende aumentar o quadro em 20% nos próximos meses.A partir de agosto, a Maxfour investirá em degustação e distribuição de folhetos em supermercados e estima um investimento de R$ 10 mil. Recentemente a loja do bairro de Moema foi ampliada em 100 metros quadrados. Além de utensílios para cozinha, como pratos e travessas, o espaço abriga os tradicionais narguiles que também são importados.Farid Kheir chegou ao Brasil em 1980, fugindo da guerra civil no Líbano (1975-1991). Montou uma fábrica de confecções, mas em 1990, com a abertura do mercado para as importações a forte concorrência com produtos importados prejudicou seus negócios. Foi quando o empresário resolveu investir no setor de panificação. Importou uma máquina para fabricação de pães libaneses e abriu uma loja para vendê-los, ao lado de sua confecção, no Brás. Aos poucos começou a importar do Líbano outros produtos e em 1995 fechou a confecção."Não era possível continuar administrando as duas empresas", lembra.Nos próximos seis meses a Maxifour ampliará a quantidade de produtos de sua marca Zeenyr em mais seis itens. Nova linha de molhos está nos planos. O grupo pretende ampliar suas vendas para mercados de médio porte. Hoje a maior parte dos produtos é comercializada em grandes redes como Carrefour, Pão de Açúcar e Extra . Além das unidades em Moema e Brás, a Maxifour possui uma filial em Higienópolis.