Publicado em

Os empréstimos para o pequeno empreendedor, até agora restritos, podem ganhar impulso a partir da segunda metade deste mês. É que será criado um sistema de cotações em que poderão ser negociados os DIM (Depósito Interfinanceiro Vinculado a Operações de Microfinanças).Com a compra desses "títulos", emitidos por cooperativas de crédito e Sociedades de Crédito ao Microempreendedor, os grandes bancos repassam para essas instituições recursos que seriam destinados em suas agências ao microcrédito.Nas cooperativas e SCMs, o acesso aos empréstimos é mais fácil e os recursos podem ter custo menor que nos bancos.2% dos depósitosA resolução de nº 3.109, de julho de 2003, determinou que as instituições financeiras dirijam o equivalente a 2% do saldo de seus depósitos à vista para operações de microcrédito.Uma das formas para que bancos cumpram a exigência é a transferência de créditos entre instituições financeiras.A Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos) opera desde novembro do ano passado o DIM, instrumento que pode facilitar aquelas transferências. No entanto, até agora, o sistema não decolou.Até agora, só R$ 3,5 milhõesA Central estimava operações da ordem de R$ 600 mil/dia após o lançamento do produto. Até agora, no entanto, só registrou duas operações, no total de R$ 3,5 milhões.O superintendente-geral da Cetip, Antônio Carlos Ferreira Teixeira, conta que fez consultas entre as instituições financeiras e constatou: havia muito interesse dos bancos pelos DIMs.Apesar disso, na opinião dele, o sistema ainda é desconhecido: "Está faltando uma divulgação entre os emissores", acredita.Na outra ponta (cooperativas e SCMs), o sistema pode ser uma solução. Representantes das cooperativas de crédito manifestaram interesse em desenvolver e aumentar suas carteiras de microcrédito.Como há interesse das duas partes - o banco para repassar recursos e as cooperativas para obtê-los - a Central vai lançar até a segunda quinzena desse mês uma espécie de "mercado de balcão organizado".Trata-se do Sistema de Cotações, onde os emissores de títulos privados, como CDBs (cédulas de depósito bancário) podem fazer suas ofertas para potenciais compradores. "É claro que o sistema também vai estar aberto para os DIMs", diz o executivo.Banco cobra caroApesar do aparente "casamento" de interesses, há preocupações com a postura dos bancos.O presidente da ABSCM, associação das sociedades de crédito ao empreendedor, Euds Furtado, reclama que os bancos querem repassar os créditos a taxas superiores à do CDI (Certificado de Depósito Interfinanceiro), de 1% - o que tornaria a operação inviável, já que a taxa de repasse não pode ultrapassar os 2% previstos pela resolução."Faltou pesquisar mais", diz Antônio Carlos, da Cetip. "Já vi negociações com a taxa em 80% do CDI".