Publicado em

São Paulo - A Vex, empresa brasileira que possui cerca de 42 mil pontos de acesso à Internet a partir de aeroportos, cafés e hotéis de 57 países, pode ser oficialmente arrematada pela operadora Oi (ex-Telemar) esta semana.

Estima-se que a aquisição será fechada em R$ 100 milhões. A compra da empresa estava sendo disputada também pelas concorrentes TIM (Telecom Italia) e Vivo (Telefónica).

A Oi foi a última empresa a entrar de fato no mercado 3G. Acredito que a empresa vai investir mais do que as outras neste nicho, fato que foi determinante na manobra comercial", diz Eduardo Tude, diretor da consultoria Teleco.

O processo de compra da Vex, negócio criado em 2002 pelo empresário paulistano Roberto Ugolini Neto, teve início há cerca de um ano, já passou pela fase de due diligence (procedimento de análise de documentos e informações de uma empresa, com o objetivo de mensurar seus riscos efetivos e potenciais).

Com os pontos de acesso da Vex, a Oi vai encontrar tecnologia alternativa para a transferência de dados, uma demanda crescente de seus assinantes. Na última semana, a Telebrás, responsável pela implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), assinou contratos com GVT (Vivendi) e Intelig (TIM) no valor de R$ 28,6 milhões.

O serviço engloba o fornecimento de saídas de Internet que ligarão a rede da Telebrás às demais redes em operação no Brasil e no mundo.

A largura de banda demandada contratada vai variar 250Mbps a 10 Gbps. O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, destacou que os preços obtidos neste pregão são os melhores já praticados no Brasil, o que será fundamental para garantir a venda dos serviços de Internet a preços acessíveis, como propõe PNBL.