Especial
30/04/2012 - 00h00 | Atualizado em 27/04/2012 - 21h33

Expansão com diversificação

Emancipada em fevereiro de 1962, a cidade chega aos 50 anos investindo em projetos sociais, ambientais, urbanísticos e de qualificação profissional

Claudia Bozzo

Emídio de Souza, prefeito de Osasco
Emídio de Souza, prefeito de Osasco / Foto: Divulgação

Inovação,   empreendedorismo e programas voltados à melhoria de vida dos cidadãos são, para o prefeito de Osasco, Emídio de Souza (na foto), uma fórmula de desenvolvimento. “O fato de Osasco ter saído da 25ª posição no PIB nacional e ter passado para a 12ª posição é muito significativo, e não é fruto do acaso. É resultado direto das políticas adotadas nos últimos sete anos  e que levaram a cidade a esse patamar, agora que completou 50 anos.”

“Nossas obras e projetos importantes estão na área de habitação, urbanização de favelas, infraestrutura para melhorar as condições da cidade. Já foram urbanizadas grandes favelas e outras estão sendo. Esta é uma transformação importante.” 

Programas sociais

Para Emídio de Souza, que está no seu segundo mandato, “os setores que mudam o perfil da cidade não são apenas as obras, são os programas na área educacional, de inclusão, capacitação e empreendedorismo e desburocratização. Eu diria que toda a área de programas sociais, como apoio ao cooperativismo, capacitação profissional, e outras ações, marcam o desenvolvimento da cidade e a expansão econômica de forma geral”.

“O que nos levou ao desenvolvimento econômico mais acentuado foi a criação de um ambiente favorável ao empreendedorismo na cidade. Como se chegou a isso? Fizemos, por exemplo, um novo código tributário, no qual se deu uma redução de impostos. Não foi aleatória: antes, fizemos um extensivo estudo por meio do Fórum Municipal de Desenvolvimento Econômico. Reduzindo alíquotas, atraímos  empresas. E o importante é que a cidade não perdeu impostos com isso; ao contrário, triplicou o orçamento” afirma o prefeito.

Desburocratização

Outra ponta da reforma foi a desburocratização: “O tempo de abertura de uma empresa na cidade, que  em 2005 chegou a  140 dias, hoje é rápido: no mesmo dia se tem o registro provisório, e em 10 dias, o registro definitivo”, informa o prefeito.

Resultado direto disso é que de 2005 a 2011 Osasco ganhou mais de 14 mil novas empresas, informa o secretário de Indústria, Comércio e Abastecimento, Rubens Bastos do Nascimento. “Por mês, recebemos de 250 a 300 novas empresas na cidade, e temos também um Fundo Municipal de Inclusão Produtiva (Fundip), uma agência de microcrédito que é um grande incentivo ao desenvolvimento.” 

Peça fundamental na ascensão da cidade, a Secretaria da Indústria, Comércio e Abastecimento é responsável por vários setores e suas ramificações, como, por exemplo, o segmento de abastecimento, que cuida de feiras livres, ambulantes regulares, toda a parte de organização municipal. “A parte de indústria e comércio  diz respeito a toda a fomentação de desenvolvimento de Osasco”, complementa Rubens Bastos.

Capacitação profissional

Para o prefeito Emídio de Souza, outro dos setores básicos na cidade é “a capacitação profissional dos trabalhadores, que acaba sendo uma boa oferta para quem pretende investir aqui. Novos incentivos ao desenvolvimento vieram pela melhora da infraestrutura viária, com as novas avenidas, facilidade de acesso às grandes rodovias do estado”, diz.

Osasco, já premiada várias vezes por suas iniciativas pelo Sebrae, está na etapa paulista do Prêmio Sebrae Empreendedor e incluído entre  91 municípios (de 199 inscritos) que receberão o Selo Prefeito Empreendedor. 

Intervenção urbana

Agora Osasco prepara a revitalização de uma área degradada da cidade, em uma operação urbana que vai unir o centro novo ao centro velho. Trata-se da Operação Urbana Consorciada Tietê, cujo projeto recebeu um prêmio de arquitetura em 2010, concedido pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) na categoria Urbanismo. Na ocasião, a cidade recebeu outro prêmio, com o projeto de Habitação de Interesse Social na Área dos Portais.

A Operação Tietê, a ser implantada em duas fases, é um projeto desenvolvido pela Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano que permitirá a ocupação planejada, inclusive do ponto de vista ambiental, de 50 hectares localizados entre o rio Tietê e a estrada de ferro. A operação inclui a construção das novas sedes da prefeitura e da Câmara no local.

Segundo o prefeito Emídio de Souza, a proposta traz um estímulo à cooperação da iniciativa privada. “Não é como uma obra pública, que tem data para começar e terminar. Estamos dizendo como é que queremos  que fique essa região, uma estrutura sólida do ponto de vista jurídico. O processo de transformação já começou e acredito que se concluirá  em cerca de sete a oito anos.” 

“A Operação Urbana 2 expande o centro da cidade para até a margem do rio Tietê. Atravessa a linha do trem e recupera uma área totalmente degradada, o centro velho, local onde a cidade nasceu há 50 anos. A nova estação já está sendo construída nesse espírito”, afirma o prefeito.

Educação

A cidade, que em 2005  tinha quase 10% de analfabetos, hoje exibe invejáveis 94,24% de taxa de alfabetização. Tem, atualmente,  6 universidades e um total de 34 mil estudantes universitários.

Outras novidades anunciadas, o “Osasco Sem Miséria”, programa que é “mais uma porta que se abre pela justiça social em nosso país”, diz o prefeito, e o projeto de cidade limpa chamado “Osasco Viver Melhor” que inclui campanha contra a poluição sonora.

Assuntos relacionados:

osasco 2012especialeducaçãodci
Imprimir
TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa das Organizações Sol Panamby
© 2014. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.