Negócios
07/11/2014 - 18h41 | Atualizado em 07/11/2014 - 20h22

Startups apoiadas por programa federal apresentam projetos a investidores

Quase 70% das selecionadas já alcançaram pelo menos um marco: lançar um produto, dobrar receita ou conquistar um aporte

Evento ocorreu na Praça das Artes, centro da capital paulistana
Evento ocorreu na Praça das Artes, centro da capital paulistana
Foto: Eric Hayashi

SÃO PAULO - As empresas selecionadas na primeira turma do Start-Up Brasil, programa de apoio ao empreendedorismo do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), apresentaram seus projetos ontem a uma plateia de 300 pessoas, formada por potenciais investidores. O programa prepara essas empresas nascentes de tecnologia e, ao final do período de aceleração do negócio, promove um Demo Day - uma rodada de apresentação dos melhores projetos. No evento de ontem, 15 startups, selecionadas entre as 45 participantes da turma 1 do programa por estarem com bom faturamento, fizeram essa rodada, conhecida como "pitch".  

Lançado em 2012, o Start-Up Brasil começou o apoio efetivo em setembro de 2013, e hoje acompanha 140 empresas - a expectativa para fevereiro de 2015 é de chegar a 185. Desde o início, foram 2.223 inscritas no processo de seleção das três turmas já existentes, mas apenas 6,3% foram aprovadas - taxa menor que a de Harvard, de 12%. Para Felipe Matos, CEO do Start-Up Brasil, "isso só aumenta o nível de mercado destas empresas. Os selecionados já são vencedores". Também participam do programa empresas nascentes de 11 países diferentes, como Suíça, Alemanha, Irlanda e Chile.

Na primeira turma do programa, foram 908 propostas de startups, sendo 74% nacionais e 26% internacionais. Destas empresas, 56 foram selecionadas e 45 apoiadas - destas, 38 são nacionais e sete internacionais. Os setores mais representados foram de educação (11 startups), varejo (6), logística e transporte (3) TI e telecom (3) e eventos e turismo (3). Os principais modelos de negócios adotados foram de software (20 startups), marketplaces (11), ampla base de clientes (11), aplicativo de celular (5), e-commerce (3) e equipamentos e hardwares (1). Das aprovadas, 5 acabaram encerrando operações. Mas 65% das que seguiram em frente já faturam. E 68,8% delas conseguiram alcançar pelo menos um destes marcos: dobrar sua receita, captar investimentos ou criar um novo produto. De janeiro a agosto deste ano, o crescimento do faturamento mensal dessas startups chegou a 122%. 

Na mesma turma, o investimento privado ultrapassou o público. Foram R$ 7,7 milhões do governo, R$ 1,65 milhão das aceleradoras e R$ 10,25 milhões de novos investidores.

O secretário de finanças e desenvolvimento econômico de São Paulo, Marcos Cruz, destacou o apoio da prefeitura ao ecossistema empreendedor e anunciou um benefício adicional para as startups com sede na cidade. Ele anunciou que as empresas instaladas na capital paulistana terão direito a mais R$ 50 mil, além da bolsa de R$ 200 mil já prevista para todos as participantes do programa.

A próxima edição do Demo Day será internacional, em São Francisco (EUA), e contará com a apresentação das turmas 1 e 2 do programa. Para dezembro de 2015, o Start-Up Brasil lancará também um edital para aceleradoras. 

Veja abaixo as 15 startups selecionadas para o Demo Day de ontem: 

AppProva: plataformas tecnológicas que realizam testes on-line padronizados em formato de quiz, além de simulados e desafios para ajudar jovens a terem melhor aproveitamento escolar. Também ajudam instituições de ensino a terem profundo diagnóstico sobre fraquezas e potencialidades de seus alunos.

Aulalivre.net: por meio de sua plataforma de ensino a distância, desenvolve conteúdos educacionais utilizando uma linguagem clara, divertida e assertiva. Para gestores escolares, possui um sistema de acompanhamento do desempenho dos alunos.

Convenia: monta plataformas e fornece relatórios automáticos que ajudarão empresas a gerenciar pessoas de forma estratégica.

eadBox: plataforma para e-learning ou LMS. Nela a empresa cria facilmente cursos personalizados e intuitivos.

eStoks: organização especializada em solucionar o problema de estoques excedentes e logística reversa de grandes empresas.

Eventick: plataforma que permite a organizadores de eventos criar rapidamente e gerenciar páginas para inscrições online e venda de ingressos.

EvoBooks: empresa de educação e tecnologia focada em criar novas experiências de aprendizado digitais adaptadas à linguagem do aluno do século XXI.

Intoo: plataforma online de crédito para empresas que realizam pedidos de financiamento de capital de giro e antecipação de recebíveis diretamente a bancos e instituições financeiras.

Love Mondays: comunidade de carreiras que permite ao usuário saber como a empresa funciona e os salários antes de assinar o contrato.

MobGeek: plataforma de e-learning que ensina qualquer pessoa a programar através de cursos online, mentorias, exercícios e webcasts.

Motonow: plataforma online de logística urbana destinada a agilizar a contratação de serviços de entregas.

Ocapi: empresa de tecnologia que desenvolve soluções para otimizar os resultados da publicidade online.

Opinion Box: plataforma que permite realizar coleta de dados online de forma rápida, segura e com credibilidade das informações.

Poup: site que localiza cupons de desconto e ofertas. Clientes direcionados através do poup recebem parte do valor das compras de volta em dinheiro.

Sensorbox: monitoramento remoto de infraestrutura, que possibilita prever e informar problemas, dando tempo necessário para tomada de ações.

 

Vinicius Macedo

Imprimir
TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa do
© 2017. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.