Plano de voo Liliana Lavoratti Editora de fechamento
17/10/2016 - 05h00 | Atualizado em 17/10/2016 - 08h40

Acordo Mercosul e UE está quase lá

Ministro destaca que principal impasse é a inclusão de carnes e etanol no tratado

O secretário executivo do Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, Fernando Furlan, acredita no avanço das negociações entre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e União Europeia para fechar um acordo de livre-comércio entre os dois blocos. Na rodada de conversas realizada na sexta (14), em Bruxelas, ficou claro o que está "pegando" para os europeus. "A União Europeia não quer incluir as carnes e o etanol, e nós temos interesse que esses dois itens entrem. Por isso a dificuldade", disse Furlan em Buenos Aires, onde participou de seminário sobre a nova face da América do Sul e a integração regional, em evento do Lide.


Detalhes que pegam 
Ainda de acordo com o vice-ministro da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, na rodada atual de conversações com a UE, o Mercosul foi bem mais agressivo, aumentando de 80% para mais de 90% de sua pauta de exportações para a União Europeia, sem as tarifas. "As expectativas melhoraram, mas ainda há pontos sensíveis a serem negociados", comentou  Furlan. A União Europeia oferece 91,5% de acesso ao seu mercado, mas não aceita incluir o etanol e as carnes, produtos essenciais para as exportações do Mercosul, especialmente para o Brasil e a Argentina.

   
Protagonismo de empresários
O empresário Flavio Rocha, presidente da Rede Riachuelo, está animado com a eleição de João Doria para a Prefeitura de São Paulo. "Nós, empresários, temos de assumir maior protagonismo na política, em substituição ao protagonismo estatal que tivemos nos últimos anos em vários países sul-americanos. Sempre ficamos  restritos a esse papel, mas temos de assumir o ideário da livre democracia e do livre mercado", disse Rocha  em Buenos Aires. Ele está convicto que a eleição do tucano  não só derrotou o PT mas também simboliza "uma nova direção para a América Latina".

 
Devolução de impostos 
O ministro do Turismo, Marx Beltrão, disse que o governo está estudando a possibilidade de implantar no Brasil a devolução de impostos cobrados de estrangeiros, a exemplo do que faz a Argentina, que devolve o Imposto sobre Valor Agregado (IVA) embutido nos preços de compras feitas por visitantes. "Enxergamos com bons olhos a devolução do IVA aos estrangeiros, praticada na Argentina, e estamos interessados em conhecer melhor o impacto econômico dessa medida para implantá-la no Brasil", afirmou Beltrão na abertura do 21º Meeting Internacional do  Lide.


Tango da irmandade
O ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues usou a letra de vários tangos para ilustrar suas ideias durante o debate sobre os rumos do Mercosul, em Buenos Aires, sexta (14), durante evento do Lide. Mas, além do gosto pelo gênero musical, Rodrigues citou várias frases do herói Martin Fierro, que pregava a união dos povos. "Temos a oportunidade histórica de oferecer alimentos ao mundo juntos.  Mas é preciso mudar a mentalidade e agir como países que têm interesses comuns, e não como concorrentes", ressaltou.

 
Liliana Lavoratti é editora-fechamento
liliana@dci.com.br

Assuntos relacionados:

acordo mercosuluefernando furlan
Imprimir
TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa do
© 2017. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.